5 Perguntas a… Ricardo Machado

Concluida a formação de junior, na qual esteve ao serviço do Centro Ciclista de Barcelos e da Seissa – ACR Roriz, Ricardo Machado chamou à atenção da Kelly Simoldes UDO, que o integrou no seu plantel para 2021. Aos 18 anos, o jovem bracarense em época de estreia entre os profissionais responde às nossas ‘5 Perguntas’ para que o fiques a conhecer melhor.

Portuguese Cycling Magazine (PCM): O que o fez enveredar pelo ciclismo?

Ricardo Machado (RM): A minha paixão pelo Ciclismo começou desde muito cedo. A minha família assistia sempre às corridas mais importantes na televisão e eu adorava ver. No entanto, foi quando fui ver a Vuelta ao vivo pela primeira vez que realmente algo em mim mudou. Percebi que não queria só ver na televisão, queria praticar também!

Comecei a dar umas voltas com o meu pai, que costumava andar de bicicleta com amigos, até que fui abordado, durante uma dessas voltas, pelo diretor da minha primeira equipa. A partir daí, decidi dar um passo em frente e entrar no mundo da competição.

PCM: Qual foi o melhor momento que teve numa bicicleta?

RM: Acho que é um bocado complicado eleger o melhor momento em cima da bicicleta. Em todas as equipas que representei e que represento, sempre tive vários momentos bons… Mas, estar em cima da bicicleta com as cores nacionais foi uma grande experiência e um orgulho, sem dúvida.

PCM: Qual o maior sonho que tem no ciclismo?

RM: O meu sonho passa por atingir o patamar mais alto do Ciclismo. Competir numa equipa de World Tour já seria o concretizar dum sonho.

PCM: Se pudesse mudar uma regra no ciclismo, qual seria?

RM: Bem, depois desta última regra publicada pela UCI, sem dúvida que era essa que mudava. Acho que a proibição daquelas posições é desnecessária, não me parece haver assim tanto risco associado às mesmas.

PCM: O que o apaixona fora do ciclismo?

RM: Fora do ciclismo, gosto bastante de passar uns bons momentos com os meus amigos (embora seja impossível com esta situação que atravessamos) e de tocar guitarra, é a minha outra paixão.

Foto de Capa: Associação de Ciclismo do Minho

José Baptista

José Baptista

Segue o ciclismo desde jovem e rendeu-se ao desporto com a vitória de Carlos Sastre no Tour 2008. Está na PCM desde 2017 e já representou a revista em três edições da Volta a Portugal (2017 a 2019) e na La Vuelta a España 2019, além de várias provas menores. Como adepto, esteve também já em mais duas Vueltas, um Tour e um Mundial. Fora da PCM, é Redator de Modalidades do Bola na Rede, sendo habitual vê-lo a reportar num qualquer evento desportivo, de jogos da Liga Europa a provas de pólo aquático, e estuda Psicologia na Faculdade de Psicologia e Ciências da Educação da Universidade do Porto. O José escreve ao abrigo do novo Acordo Ortográfico.